Conheça a campanha da fraternidade de 2019 – com Dom Francisco Cota de Oliveira e João Santiago – Verdade e Expressão

Conheça a campanha da fraternidade de 2019 – com Dom Francisco Cota de Oliveira e João Santiago – Verdade e Expressão

Conheça a campanha da fraternidade de 2019 – com Dom Francisco Cota de Oliveira e João Santiago

Boa noite amigos telespectadores da tv transamérica estamos diretamente ao vivo dos nossos estudos com mais um programa verdade expressão pelo canal 59 e também pela internet o facebook da tv transamérica o facebook do verdade expressão se pode participar conosco por lá através da time line data da transmissão ou então também pelo nosso sábio 41 99 63 36 77 hoje diante do momento que temos passado em nosso país aí uma onda e de violência vamos tratar de um tema aí é muito importante para a sociedade que é a campanha da fraternidade que já se iniciou este ano e para falar disso eu recebo aqui o dom francisco costa de oliveira ele é formado em filosofia pela pontifícia universidade católica de belo horizonte e teologia no instituto dom joão vi e costa é atualmente bispo auxiliar da arquidiocese de curitiba e também receba que joão santiago que é formado em teologia pela pontifícia universidade católica do paraná sendo licenciado em ciências religiosas pela mesma universidade e atualmente coordenador da campanha da fraternidade 2019 na arquidiocese de curitiba boa noite dom francisco costa de oliveira um prazer recebê lo aqui nesse programa boa noite doutor rafael e que agradeço a oportunidade de estar aqui participando neste horário na tv transamérica é para partilhar aqui a proposta da campanha da fraternidade considero que é um espaço privilegiado estamos aqui numa transmissão por tv onde tantos nos assistem e acompanham aqui esse nosso debate essa nossa conversa e vai fazer com que o tema da campanha da fraternidade possa repercutir mais em muitos ambientes vamos falar de é esse momento antes que a igreja quer despertar uma discussão sobre políticas públicas através da campanha da fraternidade boa noite joão santiago já teve aqui uma vez você que é o coordenador da campanha da fraternidade que em curitiba é uma honra receber novamente aqui seja bem vindo boa noite rafael é uma alegria imensa tá de volta aqui e já agradecendo pelo espaço é uma forma de a gente chegar em lugares que a pé a gente não chega levemente publicação eles são fundamentais para a gente levar a mensagem nosso caso a mensagem da palavra de deus a mensagem da igreja com a palavra de deus interpretada pela igreja e vivida na prática uma campanha da fraternidade que trabalha fraternidade políticas públicas e que tem o lema é serás libertado pelo direito e pela justiça né e são tanto tema como lema já falam muito por si só a gente entrar diretamente no tema da fraternidade algumas concessionárias chegaram aqui sobre como funciona a arquidiocese sim explicar a estrutura porque muitas em armas a campanha da fraternidade a arquidiocese como que é isso como eu faço para participar se pudesse como com quem eu converso se nós temos nenhuma organização interna na arquidiocese que integra todo nosso expediente toda a nossa actividade pastoral de evangelização é o tema que nós tratamos hoje está nenhuma das um dos segmentos da nossa evangelização nós temos as comissões pastorais uma das comissões pastorais é a comissão da dimensão social onde todas as entidades equipes ligados à igreja que atuam no social estão ali representados onde fazemos os planejamentos da ação da participação da igreja em questões sociais tanto naquilo que é educativo para formar para orientar é a participação na vida pública na vida política quanto às ações sociais que a igreja desenvolve para amparar dos mais pobres através de muitas instituições então esse é o meio nessa saber que estamos organizado em comissões pastorais que representam atividades afins aquelas atividades que têm o mesmo foco são agrupadas em comissões como nós temos a comissão família e vida nós temos a comissão para a catequese então tudo que diz respeito a até 500 vai para uma comissão tudo que diz respeito à família vai para uma comissão tudo que diz respeito à participação da igreja num social vem para essa comissão da dimensão social e nela nós temos a campanha é a equipe de fomento permanente da campanha da fraternidade e o joão santiago participa conosco coordena dentro da dimensão social essa equipe permanente da campanha da fraternidade que campanha fidelidade não é só para 40 dias da quaresma há 40 há um tempo quaresmal um tempo para lançar a proposta da campanha e depois têm seus desdobramentos não vai gerando ações que a igreja vai desenvolvendo a partir da proposta do tema que foi trabalhado como sensibilização no período quaresmal bom é você que é o coordenador então não como o bispo tal estava pensando aqui não tem um prazo né se tem um início mais o decorrer do ano inteiro no caso e isso até para completar é essa informação e eu pergunto quem dá essa oportunidade existe a campanha desde 1964 o primeiro ano que teve a campanha fidelidade que na bíblia até hoje todos os anos tem um tema forte que basicamente é isso tá colocando em risco a vida ou alguma forma de vida é uma forma de a igreja diz que se sente o que se reconhece como seguidora jesus nazaré com a sua palavra a dizer opa aqui a gente tem que agir a gente tem que estar junto né então assim a campanha fazenda onde se organiza a partir da dimensão social e do francisco é o bispo referencial aqui na arquidiocese para a dimensão social que congrega como dizem que as pastorais sociais às comunidades de base ea campanha da fraternidade basicamente né três segmentos fortes que estão muito ligados com a vida no dia-a-dia nas comunidades e na prática aí as campanhas sempre trazem o conteúdo político muito forte nesta campanha vem dizer de forma muito explícita a cnbb que a ação política concreta dos batizados e batizadas é a consequência direta da vivência do evangelho e o tema deste ano é fraternidade e políticas públicas e o lema serasa libertado pelo direito e pela justiça veja mencionar o agravamento será libertado pelo direito e pela china estão vocês enaltece muito direito ea justiça podia poderiam dar uma digamos aprofundada aí pra gente poder idade políticas públicas é o momento da igreja primeira palavra eternidade ea igreja pela sua doutrina social ela tem esse olhar a gente fala humanístico um olhar voltado para pessoa para sua dignidade e vemos cada pessoa independente da sua condição particular nós olhamos para pessoa ea vemos como irmão é aquela pessoa que é né nós entendemos na condição de filho de deus somos irmãos então temos uma fraternidade em um relacionamento de respeito na condição de irmãos talvez a sociedade é preciso muito se despertar nesse sentido o outro não é coisa o outro não é objeto o outro não está sujeito às nossas instrumentalizações aos nossos abusos é outra pessoa uma indignidade equivalente a minha quando eu falo e irmão eu estou olhando nessa perspectiva o outro é chamado a ser respeitado na mesma dignidade que eu quero ser respeitado ele é meu irmão do devo respeito uma muro uma consideração a ele depois serei libertado pelo direito e pela justiça é direito e justiça aqui no antigo testamento o direito entendido quando as pessoas são respeitados na sua dignidade na justiça ajuste o direito é mesmo uma pequena confusão aqui é quando a pessoa não é respeitada sua dignidade o direito acontece a seu favor ea justiça é a atitude de quem toma decisões sobretudo de quem governa e quem conduz à sociedade então nós esperamos que aqueles que governam que tem a responsabilidade maior e aqui podemos citar especialmente os poderes públicos é o poder legislativo poder executivo poder judiciário o que nós esperamos em cada um e de cada um é o senso da justiça que se se tem o senso de justiça por parte daqueles que coordena e conduz à vida social aí a vida social se torna justa ou seja os direitos são assegurados qual é o nosso grande problema na sociedade em questão de direitos onde a campanha da fraternidade deste ano vai trabalhar ela vai trabalhar políticas públicas onde que as políticas públicas incidem incidem onde os direitos são negados a constituição assegura um direito e na prática o serviço público não chega ali para atender esse direito que a constituição assegura já a sociedade age reais nela ela participa elegendo representantes que num primeiro momento seria esperado que ele governasse segundo a justiça promovendo direito mas muitas vezes aqueles que nós aqui falando a democracia representativa muitos desses que foram eleitos se deixam levar pelos interesses corporativos né e se deixam manipular no exercício da função pública e à iaa a sociedade que espera destes que ajam com justiça e assegura os direitos de repente se vê frustrada aí ela precisa agir novamente seja praticando uma vigilância no regime democrático acompanhando a ação dos eleitos reagindo manifestando protestando reivindicando para que cumpra o nec ar para que hajam pensando no bem comum é que duas questões fundamentais é bem comum de dignidade da pessoa então esperando de todos os governantes que tenham essa postura de definir a ação política é visando o bem comum ea dignidade da pessoa e se ainda não funciona pelos representantes apenas com esses mecanismos de cobrança a sociedade entrou novamente nos conselhos de direitos para realizar aquelas ações de governo que a constituição garante que os conselhos de direitos são meios de execução para que é né a criança seja atendida conforme a constituição garante o idoso seja gum atendido conforme a constituição garante é que o agricultor da agricultura familiar seja respeitado conforme a constituição garante é que o jovem seja respeitado e tem as suas oportunidades conforme a constituição garante e assim nós vamos desdobrando onde você tem os conselhos de direito você tem as demandas que a sociedade precisa participar ativamente desses conselhos para torná-los eficazes para que essas garantias aconteça hoje nós temos problemas seríssimos lacunas espaços onde nós precisamos com muita urgência de poli as públicas pensemos as pessoas em situação de rua ainda é sabido que nós temos mais de 100 mil pessoas em situação de rua nós ainda não temos uma legislação nós ainda não temos um projeto um programa é definido para atender essa demanda por mais real que ela seja ainda ignorado a gente fala né ignora-se 100 mil pessoas em situação de rua e não se tem uma política clara de como amparar essas pessoas existem abrigos públicos que não sabem que não é política abrigo não é política foi abril com essa emergência ao na política pública para quem está em situação de rua é é condição de trabalho e moradia e aí por exemplo vou pegando assim esse gancho e em são paulo a gente teve um episódio em 2017 a questão do das pessoas que moram na rua que utilizavam drogas em muitos casos aí tem uma ação policial inclusive a própria justiça determinou que se retirar essas pessoas da outra muitos não não queriam sair da o queria ficar lá no lugar que ele estava aqui a que você atribui isso e se vocês pensam que é correto essa medida é dada tanto da da administração à época da polícia e da justiça e do judiciário nós temos uma série de elementos envolvidos a primeira coisa a pessoa não deixa de ser humano e nem perde direito e dignidade por estar na rua segunda situação grande parte dessas pessoas estão na situação é primeiro por aos por ausência ou insuficiência de uma política pública anterior que o fez ir pra rua e terceiro muitas vezes ele está numa situação de ingovernabilidade pessoal que precisa urgente de intervenção né do das e da sociedade mas é e como é que deve se dá essa intervenção eu penso que a partir dessa perspectiva quer dizer o estado costuma ser violento o mais violento com aqueles com os quais ele devia ser mais amoroso e cuidar mais dos mais frágeis né o texto base da campanha deste ano traz uma lembrança para a gente lá do eso do pentateuco que é bem a trilha de preferencial por javé o deus do povo z cuidar preferencialmente do órfão da viúva e do estrangeiro quer dizer nessas três categorias humanas é cabo em uma série de outros é bom as pessoas não são órfãs só de pai e mãe elas são órfã de moradias são órfã de empregos órfã de escola são obra de oportunidades a igreja tem esta por esta visão epi e defende a dignidade humana a partir daí não é o ano passado que o temer a violência a gente trabalhava muito fortemente isso porque assim a cbb está chamando ea gente fazendo muito pra isso esta campanha com uma campanha mãe das campanhas em que sentido porque se a gente deve fazer uma retrospectiva da campanha da da fraternidade vai ver que todas elas têm um componente político muito forte né e os últimos cinco anos então é fortíssimo né 2014 com a questão da do tráfico humano e de órgãos até 2015 mas janaina relação da igreja com a sociedade que é trazer presentes 50 anos depois o concílio vaticano 2º que dizia o papa joão 23 colocar a igreja diante do mundo moderno nem contra ele e nem adaptada heróis da igreja inserida neste mundo para transformá-lo está valendo até hoje e as campanhas da fraternidade por outro lado expressam claramente a proposta de uma igreja sem saída que o papa francisco também representa hoje e fala para o mundo inteiro em três perspectivas fortes né que ganhou forma de cartaz de apresentação no mundo quase tudo qual é o clamor de francisco hoje e que cai assim muito bem pra nossa discussão aqui nenhuma família sem casa nenhum camponeses sem-terra né e nenhum trabalhador sempre simples emprego três situações que estão aí aviltantes hoje elas ferem comprometem podem é comprometer a dignidade da pessoa humana que é o centro do evangelho isso é fundamental que a pessoa de rua continua gente continua ser humano com direitos né a metodologia de ação do estado no caso de são paulo e da campanha também é que é na nossa perspectiva com igreja é equivocada não é você pega um ser humano desumanizado pela sociedade pelo processo que a fez ficar desfigurado humanamente aí você vai reprimir vai prender vai bater não pára aí em nome de quem é essa a grande pergunta é o dom do francês falava muito bem no início da fala dele aqui uma pergunta fundamental que no ano passado ela era chave ponto de partida da campanha é destinada continua viva a pergunta que a igreja faz e que nos orienta para fazer onde está o teu irmão a linguagem não fazer diz por aí a linguagem nossa hoje é resgatar essa linguagem o outro é antes de qualquer coisa meu irmão é minha irmã não é meu inimigo não é prostituta não é homossexual não é bandido é meu irmão e mima quando a igreja abrir mão disso ela tá fora daquilo que a essência da sua existência que é seguir jesus de nazaré entende isso é fundamental ea igreja o hibisco muita maturidade e com muita tranquilidade que quem garante tudo isso são as políticas públicas por isso é dever de todo cristão batizado de batizada exige política pública de qualidade dentro aí desse contexto é do lado de são paulo com as pessoas em situação de rua muitas vezes usa se de subterfúgios é muito fácil apenas conceituar é que essas pessoas estão na rua servindo ali sendo instrumentalizado para o tráfico de drogas que haja situação de dependência química entre essas pessoas não vamos negar e também na condição que estão de direitos negados né de vida indigna que levam seria hora de fazer esse tipo de avaliação ou seria a hora de perguntar o que estamos oferecendo essas pessoas além de drogas que a sociedade oferece às pessoas em situação de rua mais do que drogas para que elas possam sair amenizar o seu sofrimento nesse quadro degradante em que vive às vezes a sociedade está oferecendo a elas é essa condição de vida em que o uso de droga para ela em alguns casos se torna até necessário para suportar aquela condição tão desumana é que vivem então essa política uma política de estado com variedade como foi feito em são paulo simplesmente um despejo e vem com um maquinário e destrói os barracos dizendo que desfez a cracolândia mas na medida que você desfez a cracolândia é o que você fez dessas pessoas que eram moradoras da cracolândia que condição você deu essas pessoas é tipo a abolição da escravatura como você faz uma abolição da escravatura e quais lá as garantias você da pessoa que foi considerado liberta agora você vem em uma situação de pessoas né que estão ali no relento fizeram alguns meios improvisados né de de se abrigarem seus barracos na maior precariedade o estado chega sem oferecer uma condição de trabalho adequado sem oferecer uma questão de moradia talvez nem oferecer um tratamento porque às vezes a pessoa já está no seu curso de vida é já não acredita num processo apenas de mais uma internação que não vai dar em nada ela termina uma internação e olha que ela sai daquela internação ela tem casa para morar olha que a sair daquela internada tem trabalho sabe que é mais um engano que ela vai sofrer aí o estado chega com essas políticas rasas na imediatista sem planejamento sem olhar o contexto dessas pessoas estão vivendo outra questão aqui em curitiba eu já fui interpelado dizendo da campanha de não esmola porque na medida que você dá esmola você está favorecendo a permanência da pessoa na rua falo primeiro a igreja não vai entrar nessa questão porque para nós é uma questão evangelho e se tem alguém mexicana entre nós há necessidade de pedir para viver né nós vamos praticar essa qualidade da esmola podem fazer mais do que isso não vamos retribuir reduzir o que nós podemos fazer para o bem do outro dar uma esmola mas dar uma esmola o mínimo que nós podemos fazer devem fazer muito mais do que isso te dá adeus à condição miserável galista mas enquanto eu não sou capaz de tirá lo dessa condição miserável pelo menos deveria ser capaz de dar esmola e falei o dia que o poder público provar que ele ofereceu a pessoa uma condição políticas públicas meios para que ela saia da rua e viva com dignidade ofereceu a ela trabalha oferecer o estúdio ofereceu moradia é oferecer condições para viver com dignidade ela quer permanecer na minha infância aí o poder público deveria nos dar essa né esses dados com precisão fizemos tudo por ela e ela não quis nem a colher aquilo que oferecemos que daria a ela a garantia de uma vida de enquanto isso não acontece nós não somos capazes de aceitar ou ser coniventes com essas ações políticas mal planejadas e desumanas é que não condiz com a a dignidade da pessoa no nota divulgada na imprensa vocês falou o seguinte estimular a participação em políticas públicas à luz da palavra de deus e da doutrina social da igreja para fortalecer a cidadania eo bem comum sinais da fraternidade gostaria que vocês explicassem melhor aí essa nota é você acabou de ler o objetivo geral da campanha andré geral é para que nossos telespectadores entenda um pouco quem não leu o texto base que não ainda não viu falar da campanha e ela ela tem três palavras como diria o paulo freire três palavras geradoras na primeira participação a essa participação é de dati camente explicada resende mas a participar em casa na família tem que passar do condomínio em que mora é muito mais com do culpa o síndico pelas situações né o prefeito da cidade é um síndico que cuida da casa da gente na casa comum é o governador um síndico eleito pelo povo e tal e assim por diante então começar do prédio que a gente morre mas a participar a não participação é é que constrói cidadania que é a segunda palavra não é cidadania é que a gente pode pensar essa cidadania e três dimensões importantes primeiro nós somos cidadãos e cidadãs brasileiros e brasileiras mas nós somos cidadãos também do ponto de vista cristão ea partir do evangelho do reino mas entre essa mania se viu aqui no brasileiro e do rei nós temos o que o o os teóricos geralmente marina bolsa sobretudo fala da da cidadania planetária a gente precisa começar a refletir pensar que a terra é um ser vivo que sente dor que como diz paulo lá os gaúchos geme em dores de parto né já foi um tema de campanha também né a terra geme em dores de parto né vc é resgatar esta relação com a criação com a natureza e ensinar a nova geração urbana que é a segunda geração aí talvez a terceira na nascendo agora que nasceu e se cria no mundo urbano que não tem relação com a terra praticamente se a gente perguntar para grande parte da juventude da adolescência que nasceu na cidade danda que vem a água ela vai dizer da torneira né mas vem da terra né se perguntar quem é que produz alimento você vai ouvir uma série de nomes de empresas que não produz alimento elas exploram a terra a terra produz alimentos é esse ponto de partida mas enfim as três palavras participação e cidadania ea terceira a serviço do bem comum este é o ponto a pedra de toque como diria meu ponto de vista é teológico né a pedra angular da igreja execustay o bem comum jajá citou aqui damos um pouco antes dizendo isso quiser pessoas entram na política até que bem intencionadas mas lá elas são transformadas ou se revelam de repente em egoístas e começa a defender seus interesses esquece o bem comum não é e isso é um ponto importante não pode esquecer do bem comum e lembrando que a igreja não está inventando agora a política com o tema ela sempre teve posição política muito bem definida ainda defesa da vida e todas as suas fases e formas não é nunca defendeu a resto aquela que deixou uma fora e e assim em quatro fontes importantes dando é que nasce esse texto deste ano da campanha nasce da palavra de deus da bíblia sagrada nasce da doutrina social da igreja dos padres da igreja os santos padres e da constituição cidadã 88 que lá delega pra gente é a participação a democracia participativa não é nessa perspectiva de participação também já é um clamor dentro do documento da igreja um chamado a todos os cristãos e cristãs para entrar em cristo também que na política agora faz toda a diferença a ressalva que se faz entrar cristãmente que aí você vai trabalhar a serviço do bem comum então é esse trecho que você leu é que é objetivo geral ele ele resume e já cita nele nas três palavras é participação cidadania e bem comum o processo com a participação é um tema muito importante porque a gente vê o nosso dia a dia que geralmente a gente que acompanha bastante a sociedade principalmente nos municípios aqui vamos pegar aqui próximo a uma grande dificuldade da população participar dos acontecimentos do município e só ter aquela aquela digamos assim vamos falar de mania aquele costume só de criticar o os administradores públicos nunca tá participar participando efetivamente quando falo participaram significa pessoa ser candidata concorrer a algum cargo público é como que você encara isso que dentro dessa campanha da fraternidade qual o qual tipo de trabalho tem que ser feito o texto da campanha até dias de um acordar um despertar de consciências de fato a sociedade caminhou para uma acomodação muito grande até para uma omissão no sentido de estar mais presente na vida pública participar primeiro é as nossas casas legislativas sempre promovem audiências públicas em vários assuntos e muitas audiências públicas são até condição para aprovar uma lei e quase sempre essas audiências posição feita é para efeito de cumprir tabela ou seja fica ali a realização em horário e dias marcados e divulgados e quando você vai constatar a uma presença baixíssima de da sociedade ali no auditório no plenário da ccj da câmara municipal sair da assembléia legislativa do nosso povo não está acostumado a acompanhar a divulgação das audiências públicas e de participar dessas audiências já mencionamos os conselhos de direito né estão precisando que melhore os serviços pulpar os idosos nós estamos participando do conselho de direitos da pessoa idosa é está em andamento as conferências é de saúde agora estamos no âmbito municipal vai caminhar para estadual e depois para o federal nesse momento pode gerar políticas públicas novas é na área de saúde às vezes a participação é vai acontecer no bairro a bairro região a região e vai né sendo conduzido para um fechamento municipal vai depois e os delegados para o estado vemos uma baixa participação nem sempre né a conferência ele tem uma presença significativa da sociedade e às vezes nós reclamamos que a política de saúde não é boa mas ela não é bom nós devemos procurar estamos participando devidamente para melhorar de fato é o serviço público de saúde aí é questão de uma política voltada ao governo mas saulo essa o pan é solapando também né as garantias sociais os direitos já adquiridos e como nós temos aí a pec com e congela por 20 anos o investimento de recurso público nessa nas políticas sociais é porque a sociedade está distante não está acompanhando a ação dos legisladores né e deixa com que eles possam vir né a infelizmente a tirar direitos já conquistados a sociedade encontrar esses canais não citamos aqui as audiências citamos os conselhos de direitos nós temos os referendos nós temos os plebiscitos nós temos as campanhas de assinatura de para o projecto lei de iniciativa popular então os meios de participação são muitos a nossa sociedade que está pouco preparada ela precisa desse despertar de se acordar para uma participação entender que participar da vida pública e política não é só votar no dia da eleição você elege representantes mas continuam abertas as portas da participação do sistema democrático onde você pode tanto continuar acompanhando a ação dos que foram eleitos como você tem outras portas de entrada para buscar nem reivindicar direitos e serviços públicos necessários para que as pessoas levam a vida digna é então é isso é a parte que eu ponho assim dos acessos né além da das a igreja tem também as pastorais sociais e aqui agora quero acentuar esse ponto do rafael que se coloca no início é a palavra de deus é doutrina social joão mencionou aqui o profeta isaías que está a palavra de deus e iluminando a propósito da campanha temos ainda em joão 10 10 eu vim para que todos tenham vida ea tenham em abundância então jesus é veio não é para ela o encontro da nossa condição humana para nos garantir essa vida em abundância e deixou para a igreja missão não é de continuar a dor dessa proposta então se nós temos um contexto em que a vida ea dignidade das pessoas são diminuídos a igreja deve agir para resguardar essa dignidade essa vida em abundância se você vai matheus seis né você buscar o reino de deus e sua justiça e tudo mais será é virá por acréscimo ou seja garanta acima de tudo que todos vivam com dignidade não vem de deus ou justiça é que toda pessoa seja valorizada e respeitada na sua dignidade você vai no texto das bem aventuranças mateus infeliz que promove a justiça felizes os que têm fome e sede de justiça são duas bem aventurança relacionado com a justiça é que um é você não prejudicará agindo de maneira injusta negando direi dor e outra você ficar indiferente perante os abusos que você presencia você vê o outro sendo injustiçado e você ficar ausente indiferente então temos que ter também dentro de nós um clamor pela justiça em uma sede e fome de justiça não basta que eu não prejudicar o outro mas eu devo estar atento também não ser tolerante conivente com muitas práticas de exploração né que prejudicam e que negam a dignidade do outro então teríamos muitas razões na palavra de deus né para atuar na vida social onde muitas pessoas estão vivendo em condições indignas onde muitas pessoas estão é sendo tratada de maneira desumana pensemos a realidade as pessoas com privação de liberdade que estão em nossos presídios temos no brasil praticamente um milhão de pessoas é onde a constituição diz da privação de liberdade mas não diz para transformar com essas pessoas no lugar neodi elas vão viver de maneira indigna é onde vão sofrer torturas e muitas outras neo muitos outros abusos então já é tudo isso é a igreja agora ainda também como jesus na condição de pastora é o pastor veio para cuidar e não é um salteador jesus deixou a igreja no mundo também como pastora né continuadora da sua missão essa igreja que é pastor da igreja que cuida que pensa no bem de todos então como por isso nós desempenho do agir da igreja uma é uma ação mais ágil pastoral né é um é agir de quem cuida de quem olha e que ver justamente conforme joão santiago colocou aqui os que estão vivendo em situação de maior fragilidade walk neve uva o estrangeiro é aquele que não tem ninguém por ele é aquele que não tem nenhuma garantia seu favor da igreja pastora neste momento não pode ignorar o sofrimento drama dessas pessoas que não têm ninguém seu favor né onde são nem até são considerados inexistentes é é uma sociedade que tenha e negar quem está em situação de rua tem mais negar quem está em situação de dependência química tem negar quem está em situação de privação de liberdade dos nossos cárceres vivendo em condição sub-humana então são os chamados invisíveis da sociedade dão uma sociedade que ver aqueles que estão com direito negado como invisíveis você não quer vê-los que é considerado invisível sem visíveis é não querer ver essas pessoas são na realidade seu drama seu sofrimento se nós não sentimos a dor dessas pessoas como nós vamos defender seus direitos nós vamos defender políticas públicas para o bem dessas pessoas se elas não são invisíveis então hoje nós vivemos essa sociedade às vezes da indiferença da frieza né que trata com desprezo a condição dessas pessoas sobretudo pessoas que têm uma condição às vezes social financeira favorável é que se fecha no seu egoísmo seu individualismo os seus interesses particulares e ignora os dramas desses aí a nossa sociedade vai caminhando para condições mais dramáticas e aumenta a violência você começou falando do tema da violência que foi tema da campanha da fraternidade fraternidade não violento do ano passado quando que nós vamos superar a violência tem menos superação da violência garante direito promovendo políticas públicas fazendo com que os serviços públicos sejam praticados de maneira eficiente para que ninguém fique à deriva na vida da sociedade é assim que nós vamos superar violência não é aumentando disponibilidade de armas ou fazendo discursos de ódio que nós vamos gerar paz união e uma sociedade bem estar nós vamos gerar uma sociedade bem estar uma uma sociedade sem violência promovendo direitos é segurando os serviços essenciais os as condições mínimas de uma vida digna às pessoas vamos falar então relação também essa questão da do endurecimento de penas tem alguns projetos aí é que vai ser proposto no congresso é pra endurecer a pena ou seja saber de vocês é o caminho mas antes vamos com os fatos da semana o nosso jornalista pedro lima boa noite pedro lima olá boa noite rafael o tribunal de contas do estado do paraná suspendeu o pagamento de aposentadorias a serventuários da justiça inativos com recursos provenientes da carteira destinada ao pagamento de pessoas relacionadas a esses profissionais segundo o relator da cautelar a atacou de mattos leão a medida objetiva evitar a rápida da descapitalização e conseqüente desaparecimento das verbas do fundo querido pelo serviço social autônomo num paraná previdência a suspensão foi aberto no prazo de 15 dias para que o tribunal de justiça do estado do paraná a paraná previdência e seus atuais e antigos gestores desde maio de 2017 se manifeste sobre o caso os efeitos da medida perduram até que o tse paraná decida sobre o mérito da questão voltamos ao estúdio obrigado pedro lima nosso jornalista é então como tal falando é sobre essa esse projeto de lei que que que foi até um dos uma das promessas de campanha do atual governo através agora do juiz sérgio moro muito embora já houvesse outros projetos lá no congresso de endurecer a pena conhecer a pena para combater a criminalidade é dentro dessa perspectiva do que josé estava não preciso ficar falando aqui é a gente verifica que não é o caminho o caminho é a questão educativa às políticas públicas o fato de endurecer a pena não necessariamente vai fazer com que o cidadão saia da da prisão é digamos reeducado pronto própria sociedade pelo contrário o que nós vemos hoje é cidadão e preso de repente e sair pior do que quando entrou eu vou deixar aqui de são francisco é completa porque ele é além de de viver isso é do ponto de vista profético ele viveu isso na prática ele visitou o ano passado diversos presídios né e foi um processo muito duro pra ele e constatar que ela renda mas sim algumas coisas são referenciais por exemplo a igreja acredita e não poderia ser diferente é naquilo que a comunidade do profeta isaías diz que a paz que o mundo sonha e deseja só virá como fruto da justiça não é sem justiça não pode haver paz a sociedade moderna achou que vendendo pouco o um povo da liberdade ela teria se mais segurança ela praticamente perdeu toda a liberdade que tem e perdeu o pouco que têm segurança nem tem liberdade e privacidade e nem segurança esse é o bola que diz no livro cegueira moral dele muito interessante refeição dele é segredo da modernidade né mas assim é é a justiça tem que ser o embargo isadore isso né justiça para punir desafetos oprah castigar fragilizados e vulneráveis se for assim eu tenho conversado com muita gente da área de direito que não é minha área sou teólogo e tal é converso muito com o do mizael sobre isso e tenho dito muitas seleções a questão é é dada do projeto que propõe a reforma na na constituição o projeto um pacote lá mas lm 7 km/le mas pra punir a desafetos e cadê a democracia está dani e o direito ea justiça para punir os que já estão é como diz o paulo foi de 0 dados da vida da terra não é é isso não é justiça e tenho ouvido e lido muitas coisas tentando me atualizar na perspectiva jurídica porque é importante para a gente não é nosso o balizador jurídico é a constituição é o direito então assim se é pra negar a justiça tá fora desse referencial né os advogados criminalistas no brasil inteiro na sua grande maioria que inclusive é o doutor elias mattar assad teve uns programas atrás aqui que ele é apresentando abrarec associação brasileira dos criminalistas ele são totalmente contra esse projeto anticrime né não eles entendem que não é a saída é melhor para resolver o problema da criminalidade e violência no país assim da mesma forma em relação a essa flexibilização a idéia das armas aí né em relação à possibilidade de arma ou não que não se combate como foi falado no início violência não se combate joel violência do francês nós tivemos uma formação da música só 30 segundos aqui pra isso é agora na anac na faculdade e vicentina eo professor que veio agora dada de são paulo dizia isso cristão multiplica e partilha pão não é a arma não é a gente não pode esquecer disso o cristão multiplique parque capão não é a arma e nem ódio como já disse que apoiou francisco é levando um pouco isso sabe se é do rafael é a campanha do ano passado foi muito apropriada nisso e eu gosto de dizer por aí a cbb não inventa dado ela traz pesquisas científicas confiáveis dos melhores institutos que dizer desses quase 800 mil presos do brasil tem 42% que está jogado lá há meses a anos sem nunca ter sido julgada o que justiça que está falando né entende e uma coisa que que assim que dói na consciência de qualquer pessoa que já tenha em 58 por cento desses tem menos de 28 anos de idade são jovens é uma tragédia que não pode ser indiferente a isso não pode é preocupante quando a gente vê uma ação de governo influenciada de oportunismo isso é muito ruim o governo ele deve ser a retaguarda da sociedade nunca deve ser né e aproveitar de circunstâncias para agir de forma oportunista também porque você tem na sociedade um clamor de é de alguma forma sem assim clareza de dados de de uma educação adequada você sem um senso de punitiva e vingativo de repente o estado ver que nós estamos vivendo uma situação de fragilidade da segurança pública onde as pessoas desacreditam de tudo e acha que a punição ea tortura é são ferramentas que vão intimidar e aí o estado vai querer de maneira oportunista buscar essas ferramentas ao invés de garantir direitos isso é oportunismo do é de uma ação de governo é seria necessário e os neo quem lida na área do direito e criminalística iria saber por exemplo precisa aprimorar a legislação nesse sentido de conter a impunidade sabemos que a impunidade é um grande mal a pessoa ter a sensação de que a justiça nunca vai alcançá la porque ela pode driblar de várias formas né a lei e ficar impune perante muitos crimes que ela comete e crimes graves então isso é muito ruim para a sociedade a sensação de impunidade que a lei não é eficiente que a justiça não é eficiente não só da unidade só pra cortar desculpe é às vezes há a pena também é a injustiça muitos casos a gente vê aí que a pessoa é digamos lacerado na imprensa e lá no final acaba sendo o processo mostra que ela é inocente então é isso daí é um exemplo de injustiça é então tanto tem a injustiça no sentido de direito negado ontem justiça hora que aquele que vai julgar também não pauta pela justiça e é não cumprindo ali a lei devidamente é se deixando influenciar por néné por alguns elementos que não corresponde a aplicar a pena correspondente à aquele delito aquela infração que a pessoa cometeu mas só quero dizer isso eu não saberia porque eu também como joão coloca nós lidamos diretamente com esta área então opinar aqui talvez não seja muito sensato mas nós é não queremos é que o senso de impunidade fica então precisa aprimorar a legislação para que não fique essa brecha essa porta aberta que eu posso cometer crime não serei punido agora usar é na necessidade de aprimorar a legislação contra a impunidade você viu com mais repressão sobre aqueles que têm menos condição de defender é para então dentro desse espírito que eu falei de de vingança de punição de que vai acentuando aí é lamentável é que é os nossos serviços públicos sobretudo a justiça não seja para as pessoas é essa retaguarda necessária né que se de alguma forma eu sofrer uma violência ou social de alguma forma alguém cometer um crime quem sofreu violência não vai ser é é é assegurado devidamente né a reparação desse dano que a ela foi causado é daquele ato de violência e por outro lado o outro que eu posso cometer infrações que eu tenho meios que me permite não ser punido por aí não se pratica a justiça então queremos sim é discernimento nessas questões é é sobretudo o governo é tem a sua obrigação né a justiça tem a sua obrigação de assegurar à sociedade essa segurança é seguindo nessa essa temática do da participação do de como fazer acontecer né o que a gente espera por uma sociedade de direitos é complementado assim na dimensão de a palavra de deus e também a doutrina da igreja que nós acentuando que ela vai pela dignidade da pessoa e do bem comum ela vai aprontando ferramentas importantes é nós temos aqui os chamados princípios da doutrina social é que além de falar do bem comum de falar da destinação universal dos bens ela fala também de participação fala solidariedade então eu acho que é um grande mal da nossa sociedade também ela vai perdendo sem solidariedade vai cair na frieza e não vai se importando mais com quem vivi essas situações de muito sofrimento de muita dor então é um resgate também desse senso de solidariedade é que nós vamos perdendo aquilo que é mais humano em nós o que é mais humano e nós é sensibilizar com a dor do outro é ser solidário com quem se vê em uma situação de fragilidade e de sofrimento então ao ao trabalhar esse ano nessa dimensão de na igreja na sociedade a igreja traz nem quer dar conhecimento à sua doutrina social essa doutrina social seja mais conhecida e silva também de instrumento de esclarecimento para as pessoas é para que aqueles que estão se torne também um bom cidadão na vida pública e as pessoas de bem que a igreja sempre fala não produz uma teologia uma doutrina social é passar para o seu proveito próprio ela coloca à disposição das pessoas de bem as pessoas de boa vontade também conhecer essa doutrina conhecer esse ensino social é que com certeza oferece muito para o bem da sociedade enquanto nós tivemos que trabalhar em cima é de direitos negados né não dê garantias nós vamos viver às vezes essas fragilidades tratando uma violência que parece que nunca vai ser superada é a gente nós sabemos que de maneira positiva e com o uso de outras violências essa violência não vai ser superado essa violência vai ser superada quando nós construímos essa sociedade de direitos que é tão esperada aí talvez a gente né podemos ignorar agora o quadro de violência não podemos ignorar mas também vamos agora usar os mecanismos de punição para superar também não vemos aí umas ida é que talvez seja é adequada nesse contexto queremos que o governo pense é no bem comum em uma sociedade de direito é que ela não deixa o mercado os interesses do mercado prevalecer sobre a dignidade das pessoas não podemos viver nesse contexto que o lucro né a qualquer custo e todos querem levar vantagem negando direitos é denegrir pessoas desumanizando é por esse caminho nós sabemos não vamos conseguir construir uma sociedade melhor vamos conseguir construir uma sociedade melhor trabalhando pelos direitos das pessoas agora a gente tem ceará com um ego sei que só faz isso quem quiser participar de forma mais ativa ali na arquidiocese com essa campanha da fraternidade que a pessoa precisa pode comparecer lá se fazem reuniões freqüentes como funciona tenho um lugar é especial para nós que trabalhamos com pastorais na arquidiocese que é a dimensão social da arquidiocese era se encontra se reúne toda última terça feira do mês na cúria nas pastorais estão lá pastoral carcerária passado o povo de rua pastoral da aids é pastoral da juventude pastoral foi assim diversas pastorais as comandadas de base ea campanha para tentar tomar discutindo e trocando experiência às vezes um acalentando o outro porque o pessoal de rua no frio é sofre as dores do irã na rua e assim por diante até tem umas épocas que após a troca será área também vem com muito mais dores mas enfim entra no site da arquidiocese a gente está publicando lá há alguns textos têm uma apresentação de powerpoint que é um resumo desse texto base da campanha da fraternidade é que é têm todo o material da campanha deste ano é tem a revista voz da igreja que todo mundo está saindo textos aí meu dom francisco de outras pessoas falam da campanha apresentando e se quiser é ouvir o chamado com mais radicalidade some se a gente na equipe da campanha não é tem uma equipe multidisciplinar que trabalha atendendo os chamados e abrindo espaços também na com a sociedade nas paróquias nas comunidades nas entidades ongs associação de moradores na nos equipamentos da sociedade por aí né levando o tema buscando parceria fazendo isso lembrando uma coisa doutor rafael importante assim a igreja propõe já no ano passado dizia isso qual é a proposta da igreja para superar a violência lutar e exigir políticas públicas de qualidade em três áreas fundamentais educação saúde e serviço social na visão da igreja e se essas três áreas fundamentais tiverem políticas públicas de qualidade à dignidade da pessoa humana está garantida este ano foi a criançada mais uma que é criança e adolescente pela ordem do dia 1a esta criança adolescente educação saúde e serviço social só reforçando essa idéia para que as pessoas que não sabem entender o que sabe é relembrar você já falou antes aqui essas são as pastas mais esvaziados no governo atual inclusive congelado por 20 anos o orçamento eu estou dizendo por aí aonde vou tenta imaginar o que significa como será o teu postinho de saúde daqui dez anos com o mesmo orçamento do ano passado entende é muito sério é a vida que está em jogo né não é brincadeira não é apenas uma um corte de verba é corte de vida ou de qualidade de vida para muita gente que só tem esta opção ea pergunta fundamental para que que é o estado que que o estado porque ele serve se não é para atender exatamente às pessoas que precisam dele legal nosso tempo já estourou produção aqui tá me chamando obrigado a participação de vocês dois é imensamente oportunizamos na sequência marcar um outra uma outra data pra gente dar seqüência nesse bate-papo registrar aqui a presença também do doutor manoel caetano que nos acompanha um grande parceiro grande grande amigo e então boa noite obrigado pela participação de vocês a igreja dos franciscanos aqui é uma bênção então não preciso que deus abençoe a todos que nos ouvir nos acompanharam fecundo em nossas consciências com o senso da justiça para que promova possamos promover o direito em favor de todos o pai o filho eo espírito santo amém boa noite.

Leave a reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

A Tv Transamérica esta sediada em Curitiba - PR, sintonizada em canal aberto 59.1 HD.

Hoje independente de outras emissoras, a TV Transamérica vem se modernizando e renovando para atender as demandas do público curitibano.

CONTATO

A Televisão Transamérica trabalha para levar até você o melhor da notícia e do entretenimento.

LIGUE: 55 41 3240-5900
E-MAIL: comercial@transamerica.tv.br